Início » Energia solar no Brasil: cenário, desafios e futuro! 

Energia solar no Brasil: cenário, desafios e futuro! 

Atualmente, a fonte de energia que mais cresce no mundo é a Solar Fotovoltaica, e o Brasil, pela sua extensão geográfica e pela abundância de sol, possui um grande potencial para se tornar líder em geração de energia solar no mundo.

De acordo com o relatório publicado em 21/03/2023 pelo IRENA (Agência Internacional de Energia Renovável, na sigla em inglês), o Brasil encerrou 2022 na 8ª posição do ranking mundial de capacidade operacional de energia solar com 24 GW de potencial instalada, ficando a frente de países como Espanha, Grã-Bretanha, Holanda e França.

Acompanhe no post de hoje mais detalhes sobre o mercado de energia solar no Brasil.

Energia solar no Brasil: tipos, o cenário e os desafios

O Brasil possui uma enorme capacidade de produção de energia solar. Nesse 1º trimestre de 2023 registrou o melhor início da história do setor. Segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), mais de 182 mil sistemas fotovoltaicos foram conectados nos primeiros três meses do ano, superando o recorde de 2022 quando foram registradas 165 conexões no mesmo período.

Antes de nos aprofundarmos mais no cenário solar brasileiro é importante conceituarmos os dois principais tipos de geração de energia solar presentes no Brasil, a saber:

Geração Distribuída

Como o próprio nome diz, a geração distribuída é caracterizada pela produção de energia solar em diversos pontos diferentes através de geradores fotovoltaicos de menor porte instalados nas próprias unidades consumidoras (casas, empresas e indústrias), ou próximos a elas. É o segmento que mais cresce no Brasil, com mais de 69% de toda potência instalada de energia solar no país.

Geração Centralizada

Essa por sua vez, é formada por grandes usinas, construídas, geralmente, em locais afastados das áreas de consumo necessitando, consequentemente, de infraestrutura de transmissão para levar a energia produzida em grande escala para milhares de unidades consumidoras. Atualmente, a geração centralizada responde por cerca de 30% de toda fonte solar no país.

Qual é o cenário da energia solar no Brasil?

De acordo com dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), até março de 2023 o Brasil já somava mais de 1.7 milhões de sistemas solares fotovoltaicos conectados a rede das concessionárias no segmento de Geração Distribuída, equivalente a uma potência instalada superior a 18GW, dividas nas seguintes classes de consumo:

  • Residencial: 78,9%
  • Comércio e Serviço: 10,7%
  • Rural: 8,5%
  • Industrial: 1,7%
  • Poder Público: 0,2%
  • Serviço Público: 0,01%
  • Iluminação Pública: 0,004%

No Ranking Estadual de potência instalada está São Paulo com 13,8%, seguindo de Minas Gerais com 13,7% e do estado de Rio Grande Sul com 11,1% O Paraná, detém da 4ª colocação no ranking com 9,8% do total de potência instalada até março de 2023.

Para completar a lista dos rankings, o relatório também trás os municípios com as maiores potências instaladas no consolidado até março de 2023, estando no topo Florianópolis, seguindo de Brasília e Cuiabá.

Como podemos ver, a energia solar no Brasil tem crescido, exponencialmente, no segmento residencial, movida, principalmente, pelos atrativos benefícios econômicos de redução dos custos com a energia elétrica.

Desafios da produção de energia solar no Brasil

Os principais desafios para 2023 estão relacionados aos fatores macroeconômicos, como: câmbio e inflação, mudanças governamentais, efeitos regulatórios tais como a Lei nº 14.300 e créditos mais restritos. Dessa forma, a capacitação e as estratégias de vendas deverão seguir um rumo muito mais consultivo direcionando a venda de geradores solares como fator de investimentos com retornos de médio e longo prazo.

O futuro da energia solar no Brasil

Este é um setor muito atrativo para novos investidores. O Brasil está presente no acordo de Paris (compromisso mundial que pretende conter o aumento do aquecimento global) e a meta estipulada para o nosso país, responsável por 3% da emissão de todo gás carbônico do mundo, é de reduzir em 37% toda a poluição no país até 2025. A energia solar é a principal fonte para reduzir as taxas de poluição.

O futuro da energia solar no Brasil se mostra promissor, já que ela é muito mais do que uma opção econômica, ela também preserva a natureza e evita catástrofes ambientais.

Outro fator que contribui para um futuro promissor envolvendo a energia solar no Brasil é a profissionalização do mercado com o crescimento de empresas especializadas para atender o mercado de consumidores residenciais, comerciais e industriais.

Até mesmo as grandes concessionárias, donas de grandes projetos de instalação de usinas solares, tornam todo o setor de energia solar mais competitivo. Isso é positivo, pois assim os consumidores terão as empresas oferecendo soluções melhores por preços mais competitivos.

Por fim, de acordo com os órgãos especializados do setor, a expectativa é que a fonte solar fotovoltaica gere mais de 300 mil empregos e R$ 50 bilhões em novos investimentos em 2023. Portanto, o setor deverá fechar o ano com mais de 23,8 GW de capacidade instalada.

Gostou do conteúdo? Deixe o seu comentário aqui embaixo e não se esqueça de nos seguir nas redes sociais e continuar acompanhando o nosso blog!

4.9/5 - (357 votos)

Deixe um comentário

4 × quatro =